09/05/2007

1981 – A primeira vez é inesquecível

Conforme mostrei no último artigo, o 49ers começou a temporada de 81 com a defesa renovada. Porém, esse início não foi dos melhores. A secundária, composta quase que inteiramente por rookies, ainda estava se adaptando ao jogo da NFL.

O treinador de Defensive Backs na época era George Seifert, que viria a ser o substituto de Bill Walsh anos mais tarde. Seifert fez um trabalho meticuloso com os novatos, treinando os fundamentos básicos do esporte. Era costume o treinador levar os DBs para correr às 6:00 pelas ruas de São Francisco.

Seu assistente chamava-se Ray Rhodes e, enquanto Seifert tinha uma abordagem mais intelectual do jogo, Rhodes era puro coração. Criou uma expressão famosa, o “woo lick”. O que era um “woo lick”? Era aquela pancada que fazia a torcida gritar “woo”. Rhodes incentivava os jogadores a intimidar seus adversários distribuindo “woo licks”. Ronnie Lott relembra: “eu queria que os adversários me achassem maluco. Queria que eles pensassem que eu os machucaria. Toda vez que o recebedor ia para o meio, eu ia para dar a pancada. Se não fizer isso, ele passa a achar que é o ‘dono’ do meio do campo”.

A grande virada da temporada aconteceu na 5a semana. O 9ers enfrentava o Redsinks em Washington. A última vitória do time de São Francisco jogando fora de casa havia sido na temporada de 1977! Pois esse revitalizado 49ers massacrou o Redskins, vencendo por 30-17, com grande atuação de sua secundária.

A próximo jogo era contra o todo-poderoso Dallas Cowboys, o “America’s Team”. O Cowboys havia vencido o Niners 3 vezes nos playoffs nos anos 70. Uma final de divisão e 2 finais de conferência. Ninguém apostava no San Francisco. Mas o time tinha uma arma secreta, o DE Fred Dean, cortado pelo Chargers dias antes. Dean era um antiatleta, e foi para o jogo sem saber nada do gameplan do 49ers. Mas foi ele foi a principal estrela do jogo, acabando com a linha ofensiva do Dallas e conseguindo vários sacks. No intervalo do jogo ele simplesmente abriu um maço de cigarros no vestiário e começou a fumar. E ele vinha jogando tão bem que nem Bill Walsh teve coragem de mandá-lo parar. O 9ers venceu o jogo por 45-14. Segundo o center Randy Cross: “para os nossos padrões na época, foi uma surra de proporções bíblicas. Nós não vencemos. Nós detonamos”. Após terminar a temporada com um ótimo 13-3, o time bateu o Giants na final de divisão. O próprio Cross conta: “se me perguntassem depois daquele jogo se eu me importava com que time a gente cruzaria na final de conferência eu diria que não, mas estaria mentindo. Nós queríamos o Cowboys. E conseguimos”.


A Grande Batalha


Mesmo após a derrota na temporada regular, o Cowboys continuava a menosprezar o 49ers, dizendo que aquele time que havia perdido para o San Francisco não era o verdadeiro Cowboys. Walsh usou essas declarações para motivar o time, que de fato entrou mordido naquele que seria um dos maiores jogos de futebol americano de todos os tempos.

O Niners marcou TD logo na primeira campanha, num passe de Joe Montana para Freddie Solomon. Depois disso, foi uma montanha-russa. Os dois times revezavam-se à frente do placar, com o Cowboys chegando aos últimos minutos de jogo com 6 pontos de vantagem. Tudo ou nada para o San Francisco.

Com o Cowboys esperando jogadas de passe, Walsh recorreu ao velho smashmouth football, com o running back Lenvil Elliot fazendo as melhores jogadas. Um reverse de Freddie Solomon, seguido de um passe de Montana para Dwight Clark, colocou o 49ers na linha de 6 jardas da endzone. A hora da verdade. Walsh chamou uma jogada chamada sprint-right-option. Essa jogada logo ganharia um novo nome. Basicamente, Montana teria que correr para a direita e passar para Solomon, que correria uma out pattern. Caso Solomon estivesse marcado, o QB teria de procurar Clark. Foi exatamente o que aconteceu. Só que a jogada demorou mais do que deveria, então Montana teve que ir andando para trás para fugir dos 3 defensores do Cowboys que estavam prestes a derrubá-lo. Finalmente, no último momento, o QB do Niners fez o passe. A bola foi alta e parecia que iria pra fora. Foi quando apareceu Clark que, quase voando, foi no terceiro andar e fez a recepção com a ponta dos dedos faltando 51 segundos para o término da partida. Assim nasceu a “The Catch”, provavelmente a jogada mais conhecida da NFL ao lado da “The Immaculate Reception”. O 49ers ia para o primeiro Super Bowl de sua história.


Joe Montana faz o passe pressionado e indo para trás...
... e Dwight Clark faz a recepção com a ponta dos dedos. "The Catch".



Super Bowl XVI



O Super Bowl XVI foi disputado entre o San Francisco 49ers e o Cincinatti Bengals, no Silverdome, em Pontiac, Michigan. O jogo deu a impressão que seria fácil para o 9ers, tirando o fumble no retorno do kickoff inicial. Joe Montana deu um passe para TD e marcou outro TD corrido, o que garantiria seu primeiro MVP do Super Bowl. Porém, no segundo tempo, o Bengals começou uma reação e diminuiu a vantagem do San Francisco para 20-7. A defesa de Cincy acordou e não deixou o ataque do 49ers jogar. Foi aí que, no final do terceiro quarto, aconteceu o grande momento da partida.
Ronnie Lott (42) vibra com a maior goaline stand da história do Super Bowl.

O Bengals tinha uma 1a descida na linha de 3 jardas do campo do San Francisco. O time de Cincinatti então correu sem conseguir ganhar nada, passou também sem ganhar nada e depois ganhou duas jarda correndo. O Bengals foi para o jogo, mas Jack Reynolds e Ronnie Lott pararam Cincy e devolveram a bola para o ataque do Niners. Essa seqüência da defesa de San Francisco ficou conhecida com a maior goaline stand da história do Super Bowl. Não tinha jeito, o 49ers era o campeão. Continua



Obs: O Guilherme pediu um vídeo da "The Catch". Esse foi o melhor que eu achei, é o vídeo da cerimônia de aposentadoria do joe Montana que mostra lances de sua carreira. A "The Catch" começa aos 2:04 segundos do vídeo.

13 comentários:

rodrigo disse...

porra gabriel...ta de parabens cara!!
ta muito bom o blog e as matérias estao espetaculares....
eu era pequeno...mas voltei no tempo agora!!
parebens de verdade pelo trabalho....muito bom!!!

Gabriel Mury disse...

Obrigadão Rodrigo. Espero ver você sempre por aqui.

Gustavo Alkmin disse...

lindo post. chega até a arrepiar.

rodrigo disse...

na verdade eu lembro do Montana mais pra frente um pouco....pode deixar,vou passar por aki sempre!
parabens mais uma vez...
abs.

Guilherme Silva disse...

Realmente muito legal a história dessa temporada de 81 dos Niners, com muita emoção mesmo hein! E Gabriel, você sabe onde posso encontrar o vídeo dessa recepção do Clark, o famoso "The Catch"?

Gabriel Mury disse...

Valeu pelos elogios, galera. Guilherme, é difícil achar esse vídeo porque a NFL fez uma limpeza em sites tipo youtube. Eu tenho uma versão com uma qualidade baixa, mas dá pro gasto. Tá aqui: http://www.badongo.com/vid/363010

Ah, a extensão é .MOV, voc6e vai precisar do Quicktime pra assistir.

Rodrigo Sciammarella disse...

Excelente essa retrospectiva Gabriel! Infelizmente não tive o prazer de ter nascido nos anos de ouro do Niners e gostaria de saber mais sobre as campanhas vitoriosas do nosso time. O único título que assisti foi o de 94, numa época q eu ainda nao entendia muita coisa de FA(só sabia q touchdown valia 6, extra point 1 e field goal 3 e outras coisa básicas) e a NFL era transmitida pela Band, as vezes com comentaristas despreparados p/ aquele esporte. Mas era muito legal no início do jogo qd mostravam os capacetes dos times que iriam jogar colidindo um contra o outro!

Guilherme Silva disse...

Valeu mesmo por encontrar esse vídeo Gabriel, e a "The Catch" e o Joe Montana (de quem só tinha visto poucas jogadas) são realmente incríveis.

rodrigo disse...

maravilhoso o video!!
parabens..

Gabriel Mury disse...

Valeu galera. Estou temrinando o post sobre a temporada de 84. Acho que até amanhã eu já posto.

Gabriel Mury disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Allan disse...

Gabriel,

Se procurar no Youtube como The Catch você até acha um vídeo mais completo.
Eu já assisti a um de cercade 6 minutos que tem todo o último drive, culminando na The Catch.

Abs

Gabriel Mury disse...

Allan, eu também assisti esse que você tá falando, mas a NFL tirou ele do ar. Mas eu achei um bem legal no myspace e já postei. A partit de agora, sempre que alguém postar algo assim no youtube eu vou salvar enquanto der tempo. rss