05/10/2007

Para vencermos o Ravens, teremos de jogar feito o Ravens

Bom, essa é uma pequena prévia minha da partida:

Assim como o 49ers, o Ravens é um time na descendência nessa temporada. Seu ataque parou de funcionar e sua envelhecida defesa já dá mostras que não é mais a mesma. Mesmo com Trent Dilfer, é possível batê-los.

Para isso a O-line terá de melhorar (nem que seja só um pouco), para abrir buracos para Frank Gore. Gore, aliás, é outro que precisa entrar no ritmo da temporada. Ainda que seja compreensível que ele não esteja no auge da forma com tudo que aconteceu, nós perdemos o Alex Smith e precisamos que ele, Frank Gore, chame a responsabilidade.

A defesa tem de jogar como nos 3 primeiros jogos. Eles não tem grandes WRs, e acho que Clements e Harris tem tudo para anular asmbos os lados do campo. O único problema fica sendo o TE, Todd Heap, para mim um dos melhores da liga. Heap é dúvida, mas se jogar, Hannibal Navies vai ter trabalho (e vai ter que jogar melhor do que jogou contra Pittsburgh). Esse matchup pra mim é o mais importante da partda no que se refere ao ataque aéreo de Baltimore.

Há também a ameaça de Willis McGahee, que quebrou a marca das 100 jardas pela primeira vez na semana passada. Os NTs do 49ers precisam fechar o meio com os OLBs selando o perímetro para forçar McGahee a "dançar". Heap e McGahee respondem pelo ataque inteiro de Baltimore.

O problema é que nosso ataque não é muito melhor. Já falei de Frank Gore, mas outra chave para a vitória será obviamente a performance de Trent Dilfer. Ele tem de passar para 300 jardas? Não. Tem de marcar 4 TDs? Também não. O que ele precisa fazer, então? Simples: NÃO COMETER TURNOVERS ESTÚPIDOS. Tem de fazer aquilo que ele faz melhor: administrar a partida. Numa situação de 3a pra 12, por exemplo, sou plenamente a favor que ele passe para um RB para um ganho de 5 jardas. Deixa então as coisas nas mãos (ou melhor, nas pernas) de Andy Lee e de toda nossa unidade de special teams. Não force nada!

Se conseguirmos isso, acredito sinceramente na vitória. Se não, que Deus nos ajude.

5 comentários:

Ricardo disse...

Gabriel, nao concordo muito com vc nisto q vc falou aqui:

"Numa situação de 3a pra 12, por exemplo, sou plenamente a favor que ele passe para um RB para um ganho de 5 jardas."

Claro, se estivermos ganhando tudo bem, mas e se estivermos perdendo? Acho q podemos arriscar um pouco mais neste caso. ;)

Gabriel Mury disse...

Claro, Ricardo. Eu escrevi tendo em mente um jogo aberto. O Dilfer é uma turnover machine. Quando ele jogou pelo Ravnes, o que o Billick fez foi botar uma "coleira" nele, o que é exatamente o que sugiro ao Nolan que ele faça (como se ele lesse meu blog... haha). Inclusive, é isso que falta ao Chicago Bears. Pra mim não importa se é Grossman ou Griese, o importante é o Lovie Smith chegar pra eles e falar: "Olha, nossa defesa é sensacional e temos Devin Hester no special teams, portanto nós não precisamos que vocês ganhem o jogo por nós, nós só precisamos que vocês não o percam".

Ricardo disse...

hehehhehe. Blz, entendi.

Tava vendo o jogo contra o seahawks (soh agora), deu nojo da nossa OL, qdo o Dilfer pode lançar ele fez bons passes. Alem da OL nao segurar nada eles atrapalharam o ataque com varias faltas. Bem oq vc falou mesmo. Assim fica dificil mesmo.

Gabriel Mury disse...

Ricardo, eu baixei todos os jogos da temporada até aqui. Só esse do Seahawks que eu me recusei a baixar. haha

Ricardo disse...

hehehehe,
pois eh, feio o jogo mesmo. Soh baixei para ver com meus proprios olhos tudo aquilo q vc escreveu aqui no blog.

Parabens pelo blog. ;)