19/05/2007

1989 – A dominação

O time de 89 é sem dúvida o mais badalado de todos. Muita gente (como o nosso amigo Danilo Müller) o considera o melhor time de FA de todos os tempos, embora o de 84 tenha tido um retrospecto melhor. Joe Montana, quando perguntado qual o melhor 49ers no qual ele atuou, respondeu:

“O time de 84 era melhor no geral. Mas o de 89 era o mais talentoso”. Quem sou eu para discutir com ele?

Bom, como eu já contei a história da temporada de 1988, isso me poupa tempo. O treinador agora não é mais Bill Walsh e sim seu coordenador de defesa, George Seifert. Contudo, a West Coast Offense permanece intocada e o 49ers entra na temporada como franco favorito ao título.

E o time começou com o pé direito, batendo o Colts em Indianápolis por 30-24. Se Joe Montana não teve uma de suas melhores temporadas em 1988, ele compensou totalmente em 89. Logo na 2a semana, contra o Buccaneers, Montana deu a vitória ao Niners ao correr para um TD faltando 45 segundos para o final do jogo, com o 49ers perdendo por 3 pontos. Porém Montana mostraria que a mágica estava de volta na semana seguinte.

O novo treinador do 49ers, George Seifert, recordista de vitórias em sua 1a temporada.

No 3o jogo da temporada, contra o Eagles em Filadélfia, Montana apanhou bastante. Foi sackado 8 vezes e o 49ers entrou no 4o quarto perdendo por 21-10. Porém, como os torcedores do time de São Francisco estão cansados de saber, o jogo nunca está perdido com Montana em campo. O QB do Niners lançou 4 TDs só no 4o quarto e o Niners virou o jogo pra 38-28.

Na segunda semana da temporada houve a primeira derrota, para o Rams. O 49ers tinha a vantagem e estava correndo para gastar o tempo. Foi quando o grande FB Tom Rathman sofreu um fumble, e deu a chance para o time, na época de Los Angeles, chutar o field goal da vitória. Foi o primeiro fumble perdido de Rathman em 3 anos com o time.

Na 5a semana, contra o Siants em New Orleans, Joe Montana mais uma vez mostrou porque é o melhor clutch QB da história, lançando 3 TDs no segundo tempo para virar o jogo de 17-3 para 24-20. Porém, as comemorações duraram pouco.

Ao voltar para casa, os jogadores de San Francisco viram-se em meio a um terremoto de grandes proporções. Esse terremoto causou danos na estrutura de Candlestick Park, então o 49ers foi obrigado a jogar sua partida seguinte, contra o New England Patriots, no estádio da Universidade de Stanford. E com Steve Young substituindo um lesionado Joe Montana, o Niners bateu o Patriots por 37-20. Não apenas Rathman se redimiu do fumble de 2 semanas antes fazendo uma partida espetacular, mas Young também atuou muito bem, lançando 3 TDs. Com isso, ele passou a reivindicar a vaga de titular, um problema que coube ao coordenador ofensivo Mike Holmgren resolver. Mas a sorte não estava ao lado de Young.


Ninguém jogou mais em 1989 do que Joe Montana.

Na semana seguinte, conta o Jets, Young novamente começou como titular, mas se lesionou dando lugar ao 3o reserva, Steve Bono, que lançou um passe para TD importantíssimo na vitória por 23-10.

Na 12a semana, um Monday Night contra o Giants, a grande estrela do 49ers foi sua defesa, principalmente 2 jogadores que chegaram no meio da temporada, o LB Matt Millen e o NT Jim Burt. Millen havia sido cortado pelo Raiders durante o training camp e deu nova vida à defesa do 49ers. O NT Burt, responsável pela concussão de Montana em 86 (mencionada do post de 1988), veio do Giants e não deu moleza ao seu ex-time. Juntos, os 2 ajudaram a garantir a vitória por 34-24.

Duas semanas depois, também um Monday Night, dessa vez contra o Rams, foi a vez do coadjuvante de Jerry Rice, John Taylor, brilhar. Ele recebeu duas 5-yard slants de Joe Montana e correu até a endzone. Detalhe: uma de 92 e a outra de 96 jardas! A vitória de 30-27 fez com que o Niners terminasse a temporada invicto fora de casa, com um retrospecto de 14-2. Era hora dos playoffs.

E na final de Divisão, o Niners enfrentou um velho conhecido, o Minnesota Vikings, que tinha a melhor defesa da temporada, tendo conseguido 71 sacks. Contra o Niners, não conseguiu nenhum. O 49ers massacrou por 41-13, com Joe Montana passando para 4 TDs, Lott retornando uma interceptação para TD e Craig correndo para outro.

O adversário seguinte era o Rams e, se no jogo anterior o ataque deu show, agora foi a vez da defesa. O Rams marcou logo no início do jogo com um field goal de Mike Lansford. O que eles não sabiam é que aqueles seriam seus únicos pontos na partida. A defesa de San Francisco não deu a menor chance para o Rams e inclusive provocou um lance curioso. Jim Everett, QB do Rams, de tanto ser sackado no jogo (foram 8, se não me engano), num determinado lance, ao sentir a aproximação dos LBs do 49ers ele se atirou no chão antes de ser tocado! Esse lance ficou conhecido com o “sack fantasma de Everett”. E com Joe Montana lançando 2 TDs, Craig correndo para outro e Cofer chutando 3 field goals, o Niners garantiu sua passagem para o Super Bowl.



Super Bowl XXIV – A Grande Surra


No Super Bowl XXIV, disputado no Louisiana Superdome, o 49ers de Joe Montana enfrentou o Denver Broncos de John Elway. Esperava-se uma batalha dura, com um show dos dois QBs. Não foi o que aconteceu.

Joe Montana tratou de colocar o niners à frente do placar logo na primeira posse, ao fazer um passe para TD de 20 jardas para Jerry Rice. O Broncos responde com um field goal de Treadwell. Durante essa campanha, o RB Bobby Humphrey recebeu um shovel pass de 27 jardas de John Elway. Seria o passe mais longo de Elway em toda a partida.

John Elway. O QB do Broncos praticamente não viu a cor da bola no Super Bowl XXIV.

O Denver conseguiu forçar o San Francisco a fazer um punt. Mas na campanha seguinte, Humphrey sofreu um fumble e a partir daí, o jogo foi todo do Niners. Joe Montana fez um passe para TD de 7 jardas para o TE Brent Jones. O curioso foi que Cofer errou o extra-point. Mas não fez muita diferença. Depois de mais um 3-and-out de Denver, San Francisco andou 69 jardas em 13 jogadas para marcar mais um TD, dessa vez do FB Tom Rathman. Faltando segundos para acabar o primeiro tempo, Montana lançou mais um TD para Jerry Rice, de 38 jardas.

Jerry Rice marcou 3 TDs no Super Bowl XXIV, igualando o feito de seu amigo Roger Craig.

E no segundo tempo, pouca coisa mudou. Elway foi interceptado pelo LB Mike Walter em seu primeiro passe do 3o quarto e Montana não perdôou, lançando outro TD, novamente para Rice, num passe de 28 jardas. Como se as coisas não estivessem ruins o suficiente para o Denver, Elway foi novamente interceptado na campanha seguinte, dessa vez pelo SS Chet Brooks. Duas jogadas depois, Montana lançou seu 5o TD, dessa vez para John Taylor, com um passe de 35 jardas, aumentando a diferença para 41-3. Na campanha seguinte, veio o único TD do Broncos. Depois de um pass-interference do LB Bill Romanowski, a bola foi colocada na linha de 1jarda da defesa do Niners. E Elway conseguiu correr para marcar o TD. O 49ers ainda teve tempo de marcar mais 2 TDs, um de Rathman e outro de Craig, fechando a maior surra da história do Super Bowl em 55-10.

Joe Montana terminou o jogo com 22 passes completos de 29 tentados, conseguindo 297 jardas e 5 TDs (um recorde que seria batido alguns anos mais tarde). Outros recordes de Montana incluem seu 3o MVP e seus 13 passes completos consecutivamente. E pensar que a imprensa o havia considerado acabado no final de 1987...

As coisas mudariam bastante nas temporadas seguintes, mas isso fica para o próximo post. continua

4 comentários:

Rodrigo disse...

Essa temporada do Niners foi realmente sensacional! Massacrando a tudo e a todos... Mal posso esperar p/ ler os proximos capitulos ate o SuperBowl comandado por Steve Young!

Bruno Macedo disse...

Esse time do 49ers de 89 foi o maior de todos os tempos na minha
opiniao,melhor que Bears de 85 e do que o proprio 49ers de 84.Que surra no SB em?!acho que o Broncos perferia ter perdido na final da AFC do que tomado essa surra no SB(rsrs)!!

Guilherme Silva disse...

Nossa! 55 a 10 em Super Bowl não é pra qualquer time mesmo, e os Niners conseguiram isso porque realmente não tinham qualquer time e principalmente, não tinham qualquer QB

Gabriel Mury disse...

Valeu pessoal. Pois é, esse Super Bowl foi uma surra mesmo. Acho que foi o 3o SB perdido pelo Broncos nos anos 80. Felizmente para o Elway que ele conseguiu ganhar 2 no final dos 90. E até o fim de semana eu devo finalizar o texto falando do período da transição e o texto da temporada de 94 propriasmente dita. É que como o time de 94 é MUITO diferente do time dos anos 80 eu achei melhor fazer uma introduçãozinha. Eu tô meio enrolado no momento mas até o fim-de-semana sai.