14/08/2007

Broncos 17 x 13 49ers

O 49ers saiu derrotado no 1o jogo da pré-temporada. Qual a importância disso? Nenhuma (pra falar a verdade, o melhor momento do jogo foi o Everaldo anunciando meu blog. :) ). Mas, como seria impossível escrever qualquer coisa a respeito do jogo ressaltando esse fato o tempo todo, ficamos combinados: eu vou escrever como se fosse um jogo normal e você, caro leitor, tenha todas as ressalvas em mente, certo? Então, vamos lá:



O que deu certo?


Alex Smith - O QB do 49ers foi a grande estrela do time no jogo de ontem, com dois lindos passes, um deles em cima de Champ Bailey (que, para quem não sabe, só permitiu 4 recepções em toda a temporada passada). Ainda assim não foi isso o que mais me impressionou. O que realmente me chamou a atenção foi aquilo que os americanos chama de poise, ou seja, o equilíbrio,
calma e segurança dentro do pocket. Smith fazia o drop, encontrava o melhor recebdor e passava. Simples e rápido, nada de ficar meio século com a bola nas mãos, muito diferente daquele Smith do ano passado, que por vezes fazia tudo parecer física nuclear. Isso tudo foi ainda mais impressionante quando se leva em consideração que a linha ofensiva titular não esteve bem (escrevo mais sobre ela abaixo). Claro que muito se deve a esse novo ataque comandado por Jim Hoestler, e é dele que falamos a seguir.

Jim Hoestler - O novo coordenado ofensivo do time de São Francisco teve uma excelente estréia. Sua mistura de vertical passing com West Coast Offen
se se mostrou muito interessante, com os QBs lançando para vários recebedores diferentes. WRs, TEs e RBs, todas as posições receberam uma boa quantidade de passes. Só pra se ter uma idéia, dos 70 snaps ofensivos do time, 35 foram de passe, ou seja, a metade. Isso é bem diferente do sistema de Norv Turner, que privilegiava fortemente o jogo corrido.

Hicks e Robinson - A dupla de HBs reservas se mostrou sólida e capaz de ajudar o time quando necessário. Enquanto assistia os dois, não pude deixar de pensar no que o Gore faria com o Broncos se estivesse jogando. E agora que o 49ers tem um WR corp de respeito, o jogo corrido só tende a melhorar.

Recebedores de um modo geral - Quanta diferença em relação ao ano passado. Nolan terá probleas se quiser ir mesmo apenas com 5 WRs pra temporada. Jackson,
Battle, Williams, Hill, Jacobs, Gilmore, enfim... Até o esquecido CJ Brewer esteve bem. Ah, e eu já disse isso várias vezes mas vou repetir: fiquem de olho no TE Delanie Walker.

Nate Clements - Jay Cutler sequer olhou na direção do CB No 1 do 49ers, o que mostra que Clements já intimida logo de saída, o que é muito importante.

Tarrell Brown - Conseguiu uma bela interceptaçã
o. Quando se é rookie, isso já é mais que suficiente.

O CB novato Tarrell Brown comemora sua interceptação


O que deu errado?

Defesa titular - O que deu pra notar logo de saída foi como o time estava enferrujado no que diz respeito aos tackles. Deixamos de conseguir até sacks por conta disso. O 49ers também sentiu falta de Aubrayo Franklin. É até engraçado dizer isso, já que o cara nunca jogou com o San Francisco e que também não o vi jogar com o Ravens, mas o fato é que o time teve problemas com a posição de nose tackle. Para piorar, o pass rush foi problemático (apenas Banta-Cain pareceu mostrar alguma coisa) e Manny Lawson esteve completamente perdido, chegando a, numa jogada, correr atrás do FB quando até minha vó tinha visto o handoff para o HB na outra direção.

Linha Ofensiva titular - A OL esteve mal e não, não foi apenas o Kwame Harris não. Na realidade, pelo que eu vi, o pior jogador da linha foi o LT Jonas Jennings, tendo muitos poblemas para conter os rushers do blind side. Acredito que apenas no passe para Jackson Smith teve de fato um pocket para atuar.

Shawntae Spencer - Com Clements anulando o lado esquerdo da defesa, Cutler se voltou para o direito e fez o que bem entendeu com o CB No 2 do time. Em defesa de Spencer, vale lembrar que ele ficou responsável pelo WR No 1 do Broncos, Javon Walker sem muito safety help, já que pareceu que Nolan quis testar seus CBs no 1-contra-1. Se fosse um jogo da temporada regular, Wlaker receberia marcação dupla.

Thomas Clayton - Clayton Mostrou aquilo que já se falava dele no training camp: hesitante na hora de correr entre os tackles, muita gente achou que Kevan Barlow havia voltado ao time. Com o desempenho de Hicks e Robinson, sua situação começa a ficar difícil.

6 comentários:

Rodrigo disse...

Gabriel, parabéns! Seu blog agora está famoso do Oiapoque ao Chuí!

Esqueci de dizer no comment do post anterior q o Maurice Hicks me surpreendeu e foi muito bem! Até melhor q o M-Rob...

A batalha entre os WRs vai ser bem dura! E ponto p/ Tarrell Brown, acho q esse garoto vai garantir uma vaga no roster como CB #4. Olho nele!

Gabriel Mury disse...

É Rodrigo, pena que eles falaram mei tarde, então não teve muito ibope. haha

Bruno disse...

Eu não acho que o Clayton tenha ido tão mal também. Ele conseguiu boas corridas enquanto jogava com a nossa OL reserva (Snyder, Wragge, Bass, Staley estavam lá).

Quando a terceira OL entrou, mal conseguíamos abrir um espaço e o Clayton não tinha muita escapatória. O problema dele é não entrar nos espaços com força sendo alvo fácil para tackles.

Aliás, por falar na OL, o Snyder jogou muito mal.

Gabriel Mury disse...

O Clayton só funcionou quando correu alguns off tackles e uma das melhores corridas dele foi num passing down (2a e 12 ou algo parecido) contra uma defesa em nickel ou dime, não lembro agora.

A menos que o Nolan queira 4 RBs, a situação dele está complicadíssima.

Allan disse...

Parabéns Gabriel.
Realmente comentarem do seu blog ao vivo foi o auge do jogo.

A maioria dos posts já cobriu as análises mais importantes e realmente deu pra avaliar muito pouco como irão atuar as principais peças do time.
Mas as perspectivas do Alex Smith para essa temporada são muito animadoras, principalmente qdo ele puder contar com o Frank Gore. Mostrou muita auto confiança na fisionomia e isso é muito importante.
Os WRs também deixaram uma boa impressão, apesar de cruzarem com 2ª e 3ª defesas. Foram várias third down completions empolgantes.
Nossa defesa 1 contra jogo corrido preocupou um pouco, mas muita coisa ainda vai mudar até o primeiro kick off.
E do game plan ofensivo, gostei muito das jogadas de passe, mas os downs em que faltavam poucas jardas insistimos muito em corridas de força pelo meio e na maioria das vezes não fomos bem sucedidos. Talvez se fosse o Frank Gore...

Mas no final das contas o que valeu mesmo (além do anúncio do blog) foi ver que a atmosfera do time e da torcida é outra. A confiança numa boa temporada é grande e o elenco tem futuro.

Gabriel Mury disse...

Realmente Allan, voc6e mencionou os 3rds rounds e eles foram importantes mesmo, até porque essa foi uma das áreas onde o time teve seu pior desempenho ano passado.

A outra foi a redzone, que precisa melhorar.